Prefeitura Municipal de Macaé

Secretaria Municipal de Cultura

Subsecretaria de Acervo e Patrimônio

A Subecretaria de Acervo e Patrimônio Histórico tem como principal finalidade zelar pela integridade do patrimônio histórico do município, principalmente através de trabalhos de pesquisa e documentação. A Secretária tem como sede o Solar dos Mellos, prédio construído em 1891 revitalizado pela prefeitura, inaugurado em dois de dezembro de 2004.

- Pesquisas e Projetos:

- Recuperação de documentos históricos

Os pesquisadores estão trabalhando na higienização, catalogação e digitalização do acervo jurídico de Macaé que contém documentos históricos dos séculos XIX e XX sob a orientação da historiadora Márcia Amantino. O trabalho deve durar cerca de dois anos. Já foram localizados processos criminais, inventários, pedidos de tutoria, entre outros. A pesquisa vai contribuir para o resgate da história do Município e promover o acesso de pesquisadores e estudantes as informações. A documentação está sob a guarda da Fundação Macaé de Cultura.

A equipe também está realizando pesquisas em arquivos eclesiásticos e cartoriais. O trabalho foi iniciado na serra, na antiga Freguesia das Neves. Um dos fatos marcantes deste trabalho foi a descoberta de documentação que comprova a existência do quilombo de Carukango, que se pensava ser apenas uma lenda. As pesquisas apontaram que o quilombo foi extinto em 1º de abril de 1831, na serra do Deitado, entre Macaé e Conceição de Macabu.
 

Já foram digitalizados os livros de batismo, casamento e óbito do século XIX da antiga Freguesia das Neves, que hoje abrange a serra macaense, assim como já foi digitalizado um livro do século XVIII e um livro de notas (testamento e cartas de liberdade de escravos). Também foi feito o levantamento na Igreja Matriz de São João Batista, registrando documentos que remontam ao ano de 1812 até os dias atuais.

-  A história presente nos cemitérios

“A morte conta a vida”, projeto desenvolvido pela equipe da SEMAPH, coordenado pela professora pesquisadora Conceição Franco, tem por objetivo resgatar a história do Município através do simbolismo dos cemitérios, dos túmulos e dos livros cartoriais.

A pesquisa favoreceu o resgate de uma tradição do distrito do Frade, que estava quase esquecida – “O enterro dos ossos”. A tradição que veio de Portugal remonta ao século XVI, e que praticamente estava desaparecida desde o século XIX. O “Enterro do boi” é um cortejo feito na quarta-feira de Cinzas, com o boi e a boneca de carnaval pelas ruas do Distrito, ao som de surdos e acompanhado por um cortejo de pessoas segurando velas. Durante a caminhada, são recitados versos com teor irônico dirigidos à pessoas do local – os políticos, são os principais alvos. No final o boi e a boneca são incendiados.

 

- Curso Professor Investigador

Dentro da proposta de divulgar a história do Município e despertar o interesse pela pesquisa, a Secretaria de Acervo e Patrimônio Histórico promove todo ano o curso Professor Investigador, que já atendeu a duzentos profissionais da área de educação e pessoas interessadas em História. Dividido em módulos, o curso prepara os inscritos para pesquisar diretamente em fontes primárias – ou seja em documentos históricos. As aulas são ministradas por pesquisadores do Centro de Memória e por profissionais renomados da área.

-  Igreja de Sant’Anna

A reforma da Igreja de Sant’Anna, principal patrimônio histórico da Cidade, está sendo coordenado pela SEMAPH. A reforma inclui a troca do forro e do telhado, tudo feito, na medida do possível, com técnicas de restauração. A obra inclui também, a recuperação dos altares que estão sofrendo com infiltrações e cupins.
A história da Igreja de Sant’Ana se confunde com o início da colonização de Macaé, feita pelos jesuítas no século XVII. Quando aqui se estabeleceram, os jesuítas ergueram no alto do morro a Capela de Sant’Ana, um engenho e um colégio. Nos fundos da capela, foi instalado um pequeno cemitério que até hoje guarda restos mortais de alguns religiosos.

- Restaurações

- Três tesouros históricos de Macaé estão sendo restaurados como parte do projeto de revitalização da Igreja de Sant’Ana. A principal é imagem do Senhor Morto, peça esculpida em madeira revestida em massa, medindo 1.66m de comprimento. Possui corpo em carnação, apresentando cinco chagas e ferimentos na testa, no pescoço, nos braços, no peito, quadriz, joelhos e dedos. A imagem encontra-se em postura fúnebre.

- Também está sendo restaurada a imagem de Nossa Senhora das Dores, escultura confeccionada em madeira, revestida em massa, com interior oco, com altura de 1.67m. Classificada na categoria de “imagem de vestir”, por possuir articulações nos ombros, e cotovelos. Sobre o corpo esculpido e pintado na cor azul celeste, um corpete de mangas ¾, e saia em estilo godê. A imagem de Nossa Senhora de Sant’Ana também está passando por restauração. Todas as imagens com valor histórico inestimável.

 

 

 

 

 

 

- Inventariamento do Patrimônio Cultural Imaterial do Município de Macaé

- Foi instituída, em julho de 2006, pelo prefeito Riverton Mussi a Comissão de Preservação de Bens Culturais de Natureza Imaterial - CPBCNI. Sua finalidade é registrar, em todo município, as festas folclóricas, cultos religiosos tradicionais, culinária típica, espaços públicos para práticas culturais coletivas, cantos e danças, tendo em vista a necessidade de identificar, preservar e divulgar a cultura popular.

- O primeiro trabalho desta comissão está direcionado às celebrações do mês de junho: Festa de São Pedro, Festa de São João e Festa de Santo Antônio, tradicionais em Macaé. Inicialmente foi feito um levantamento documental - fotográfico, audiovisual e bibliográfico - destas celebrações para a reunião do maior número de informações, buscando subsídios para o inventariamento das mesmas. As informações preliminares foram coletadas em acervos diversos, públicos e privados.

- Buscando orientação da instituição responsável pelo registro do Patrimônio Imaterial Nacional, o IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a Secretaria de Acervo e Patrimônio Histórico de Macaé firmou compromisso em utilizar a metodologia por eles desenvolvida e utilizada, com a finalidade de assegurar o correto trabalho que vem sendo desenvolvido pela CPBCNI.

- Projeto de História Oral

A Comissão de Preservação de Bens Culturais de Natureza Imaterial – CPBCNI - está realizando o inventariamento das celebrações do mês de junho (Festas Juninas) com pesquisa de campo e recolhimento de depoimentos orais. As entrevistas temáticas e de histórias de vida, fontes fundamentais para o Inventariamento do Patrimônio Cultural Imaterial do Município, estão sendo documentadas em diversas mídias.
 

Busca

Destaque