Prefeitura Municipal de Macaé

Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade

Cemaia: acolhimento e assistência cidadã de crianças e adolescentes

2018-04-16 17:51:00 - Jornalista: Tatiana Gama
Compartilhe:  
Foto de sala interna no Cemaia.
Foto: Ana Chaffin
Unidade realiza acolhimento provisório

O Centro Municipal de Apoio à Infância e Adolescência (Cemaia), ligado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, é a instituição do Governo Municipal responsável pelo acolhimento provisório de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social. Localizado no bairro Virgem Santa e com funcionamento 24 horas durante toda a semana, o centro tem como objetivo promover a reintegração das crianças e jovens às suas famílias ou inseri-las em famílias substitutas, um trabalho que envolve o Conselho Tutelar, o Poder Judiciário, o Governo Municipal e, em alguns casos, o Ministério Público, quando busca-se alternativas como a adoção.


A coordenadora do Cemaia, Tatiana Rocha da Mata, explica que a instituição recebe crianças e adolescentes de Macaé, da região e de cidades fora do Estado do Rio de Janeiro. Segundo ela, a maioria dos assistidos volta para a família de origem. “Realizamos um trabalho que visa o resgate dos vínculos familiares para que as crianças e os jovens sejam inseridos ou reinseridos no menor tempo possível", destaca.

Dia a dia

Uma equipe multidisciplinar, composta por quatro assistentes sociais, três psicólogas, dois orientadores sociais, que desempenham papel no reforço escolar, além do pessoal administrativo/operacional, garantem o atendimento dos abrigados, que ainda participam de atividades desenvolvidas em parceria com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Para a dinâmica da casa, o Cemaia tem a sua disposição um veículo, inclusive nos finais de semana, para atendimentos médico e administrativo, atividades esportivas, de entretenimento e de lazer. Outros três veículos, cedidos pela Secretaria de Educação, realizam o transporte escolar.

"A criança e o adolescente têm direito a convivência familiar e comunitária, conforme prevê o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). Os momentos de lazer cumprem esse papel, assegurando a convivência familiar e comunitária, em ambiente que garanta seu desenvolvimento integral", frisa a coordenadora Tatiana.

Além da escola regular, os abrigados frequentam cursos do Centro de Educação Tecnológica e Profissional (Cetep), atividades do Centro de Referência do Adolescente (CRA) e da Coordenadoria Municipal Especializada de Apoio ao Escolar (Cemeas).

A instituição

O Centro Municipal de Atenção à Infância e à Adolescência, órgão de proteção social especial de alta complexidade, tem por finalidade acolher e assegurar proteção integral, em caráter provisório e excepcional, às crianças e aos adolescentes afastados do convívio familiar por meio de medida protetiva de acolhimento institucional.

O prédio do Cemaia é dividido em duas unidades: uma para crianças de zero a 12 anos, de ambos os sexos, e meninas até 18 anos incompletos (setor I) e outra para meninos de 12 a 18 anos incompletos (setor II). Atualmente, são 12 abrigados, sendo 11 no anexo I e um no anexo II. O espaço, que tem capacidade para até 40 crianças/jovens, conta com sala de TV, brinquedoteca, pátio com brinquedo, sala de visita, técnica e de enfermagem, dormitórios, lavanderia, cozinha, refeitório e banheiros.

A partir do dia 24 deste mês, a unidade I passará por reformas, com previsão de duração de seis meses. Nesse período, os abrigados permanecerão nas unidades II e III, essa última encontra-se inoperante atualmente.

+ Mais Notícias