Alunos engajados no combate ao vetor da chicungunha

2019-05-08 16:38:00 - Jornalista: Joice Trindade e Genimarta Oliveira
Compartilhe:  
Foto: Maurício Porão
Trabalho educativo nesta quarta-feira (8) foi no Colégio Municipal Wolfango Ferreira (Barra)

O combate ao mosquito transmissor da dengue, chicungunha e zika vírus está sendo reforçado nas escolas. O objetivo é mobilizar os alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio para que sejam multiplicadores de informações quanto ao cuidado com a proliferação do mosquito Aedes aegypti. As ações de combate estão por toda a cidade: equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) seguem até sexta-feira (10) com o Levantamento Rápido de Índice para o Aedes aegypti (LIRAa) nos bairros.

Nesta quarta-feira (8), o Colégio Municipal Wolfango Ferreira (Barra) recebeu o trabalho educativo. A atividade faz parte do Programa Saúde na Escola, que tem o objetivo de levar promoção, prevenção e atenção à saúde. O cronograma segue nesta quinta-feira (9) na Escola Municipal de Educação Infantil Mai Carmen de Jesus França (Praia Campista) e no Ciep Darcy Ribeiro (Nova Holanda) nesta sexta-feira (10).

Já os agentes de endemias continuam com as ações de bloqueio com utilização de bomba aerosystem, nas residências com casos confirmados das doenças.O alerta dos agentes é quanto ao descarte incorreto de lixo e materiais inservíveis. A maior parte dos focos do mosquito está nos domicílios.

A visita na escola foi conduzida pela equipe do setor de Educação em Saúde do CCZ, que ministrou palestra, apresentou teatro de fantoches com personagens que têm dengue e também distribuiu material informativo.

Até o final do ano letivo, a equipe vai seguir um cronograma de visitas em escolas, instituições, associações de moradores e até empresas. Para agendar a visita, o interessado deve ligar para 0800-022-6461.

Nesta quarta-feira (8), a ação educativa de combate à dengue foi marcada pela interação dos estudantes. Durante o bate-papo com a representante do setor de Educação em Saúde, Rose Costa, os alunos fizeram perguntas, responderam questionamentos e compartilharam experiências sobre dengue, chicungunha e zika vírus.

Entre os mais atentos estavam Marlon Valentim da Silva, Gláucio Daniel Henrique e Reynald Bruno Nascimento. O trio, que estuda no 5º ano, fez questão de dar opiniões, responder, perguntar e até se socializar com os fantoches. "Conheço pessoas que tiveram dengue. A gente tem que tomar cuidado com água parada e manter o quintal limpo. O mosquito Aedes aegypti tem que ser combatido", contou Reynald.

Reforço de 50 agentes incrementa trabalho

Já Marlon lembrou que todos têm que ajudar. "Ninguém quer ficar doente. Temos que olhar atrás da geladeira, ar condicionado, pneu. E se vermos que estamos com dor de cabeça, febre e manchas na pele temos que correr para o hospital", disse o estudante de 11 anos.

Para o professor da turma, Huelinton de Oliveira, a conscientização de combate à dengue nas escolas é de suma importância. "Este tema tem que ser reforçado sim. Escolas de periferia merecem uma atenção especial", ressaltou. A diretora adjunta, Cláudia Helena Novaes, lembrou que a escola tem 1.472 estudantes, e que a mobilização contra a dengue é um alerta para toda a comunidade. "Alunos, profissionais e familiares devem se conscientizar dos cuidados", observou.

De acordo com o secretário de Educação, Guto Garcia, a abordagem da dengue também faz parte do projeto político pedagógico de cada unidade municipal. "O objetivo é que o tema seja trabalhado durante o ano letivo em parceria com a comunidade escolar e familiares dos alunos. A rede conta com a parceria de setores como Centro de Controle de Zoonoses e Secretaria de Saúde. Além da limpeza das unidades e colocação de larvicida, os estudantes participam de atividades diversas como caminhadas de conscientização com entrega de material informativo e coleta de materiais nas ruas próximas às unidades", pontuou o secretário.

Macaé conta com novos 50 agentes de endemias, contratados pela Prefeitura de Macaé por meio de Processo Seletivo Simplificado. Para solicitações, denúncias e informações, a população pode utilizar WhatsApp no número 99864-4073. A comunicação é feita direto com o Centro de Controle de Zoonoses.

Busca

Acesso Rápido

Destaque