Boletim Chikungunya - 07/05

2019-05-07 12:10:00 - Jornalista: Juliana Carvalho
Compartilhe:  
Foto: Divulgação
Ao longo desta semana, o CCZ realiza o LIRAa em todos os bairros da área urbana e região serrana

Nesta terça-feira (8), o trabalho para eliminar o Aedes aegypti conta com a atuação de 12 equipes formadas por agentes de combate a endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A data marca ainda o início da atividade prática para os 50 contratados pela Prefeitura de Macaé, que estão reforçando as ações que incluem visitas domiciliares, a pontos estratégicos e bloqueio de casos positivos.

Ao longo desta semana, o CCZ realiza o Levantamento Rápido de Índice para o Aedes aegypti (LIRAa) em todos os bairros da área urbana e região serrana. A ação é realizada por amostragem e busca identificar o grau da infestação do mosquito e locais mais críticos para atuação estratégica. Na manhã desta terça, equipes estiveram em locais como o Botafogo, Morro do São Jorge, Aroeira, entre outros.

"É fundamental que, principalmente neste período, a população saiba a importância da visita do agente e permita a entrada na residência. Esse levantamento nos ajuda a traçar o mapa de infestação do mosquito, permitindo, assim, atuação mais eficaz de eliminação", afirma o coordenador do CCZ, Flávio Paschoal, acrescentando que as visitas acontecem dentro do horário comercial, das 8h às 16h.

Bloqueio - Com bases nas notificações recebidas, o CCZ atua nas residências com o chamado bloqueio de caso positivo. O trabalho consiste na aspersão do inseticida no imóvel tanto na área interna como externa. O objetivo é matar o mosquito na fase adulta, evitando a disseminação das doenças.

A conscientização e formação de pessoas multiplicadoras de boas práticas também está entre os pilares dos trabalhos da Secretaria de Saúde. Nesta terça, a equipe de Educação e Saúde, do CCZ, esteve na empresa Oceaneering, no Novo Cavaleiros. No encontro, os profissionais puderam ouvir informações importantes na palestra "Controle e Combate ao Aedes aegypti: não pode nascer porque mata!".

Para solicitações, denúncias e informações, a população pode utilizar a ferramenta de comunicação via WhatsApp pelo número 99864-4073. A comunicação é feita direto com o Centro de Controle de Zoonoses.

Busca

Acesso Rápido

Destaque