Educação lança projeto que reforça direitos da mulher nesta quarta

2019-04-09 10:39:00 - Jornalista: Joice Trindade
Compartilhe:  
Foto: João Barreto - Arquivo Secom
Projeto possibilita que alunos conheçam as ações da Patrulha Maria da Penha, que funciona 24 horas

Atualizada às 19h05.

O projeto "Maria da Penha vai às escolas" que seria lançado oficialmente nesta quarta-feira (10), no auditório Cláudio Ulpiano da Cidade Universitária, às 16h, na Rua Aloísio da Silva Gomes, 50, bairro Granja dos Cavaleiros, foi adiado por conta das chuvas na capital do Estado do Rio de Janeiro. Nova data será anunciada.

A proposta do projeto é abranger todas as unidades municipais, que atendem turmas de 6º ao 9º anos. A ação é uma parceria da Secretaria de Educação e do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), além do curso de Direito da UFF/Macaé, Patrulha Maria da Penha, Secretaria de Ordem Pública e Juizado Especial Adjunto Criminal/Juizado de Violência Doméstica. Na oportunidade, será realizada a roda de conversa "Violência contra Mulher", que será ministrada pela equipe do Ceam, além de palestra sobre o tema com universitários do curso de Direito do campus UFF-Macaé.

A ocasião contará com exposição de trabalhos produzidos em março, mês da mulher, como dança e mural, feitos pelos alunos do Colégio Municipal Tarcísio Paes de Figueiredo (Bicuda Grande). Serão destacados temas como empoderamento, direitos, Lei Maria da Penha, violência e Centro de Atendimento (ligações 180).

O projeto possibilita que alunos conheçam as ações da Patrulha Maria da Penha, que funciona 24 horas. A patrulha também atua com fiscalização de medidas protetivas, com possível prisão em caso de desacato à medida judicial.

Em março, as ações foram realizadas nas seguintes escolas: Ciep Municipal Leonel de Moura Brizola (Barra), Colégio Municipal Claudio Moacyr de Azevedo (Aeroporto) , Raul Veiga (Glicério), Tarcísio Paes de Figueiredo (Bicuda Grande) e Botafogo. A equipe de Serviço Social da Secretaria de Educação continua acompanhando as unidades.

De acordo com a coordenadora de Educação Social, Viviane Rocha, este primeiro contato com os alunos foi positivo. "Além da reflexão, o projeto permite que os alunos produzam trabalhos, participem de dinâmicas e através desta consciência, façam sugestões, denúncias e solicitação de ajuda às vítimas de violência", ressaltou.

Atendimento à mulher tem equipe multidisciplinar

O Centro Especializado de Atendimento à Mulher tem uma rede de multiplicadores, incluindo profissionais da 123ª Delegacia de Polícia de Macaé, do 32º Batalhão de Polícia Militar, Defensoria Pública, Juizado Criminal, Ministério Público, Secretaria de Saúde e Hospital Público Municipal (HPM).

O Ceam atende de segunda a sexta-feira na Rua São João, 33, Centro, ao lado da 123ª DP. O espaço funciona como um centro de proteção e atendimento à mulher, sempre preservando o sigilo da assistida. O trabalho conta com uma equipe multidisciplinar formada por assistente social, psicólogos e advogados, que realiza acolhimento e direcionamento conforme a demanda.

Dependendo do caso, existem encaminhamentos para unidades de saúde, Delegacia de Polícia, Juizado Criminal, Ministério Público e Defensoria Pública. Quem quiser manter contato com a Lei Maria da Penha também pode ligar para os números 2796-1328 e 99707-2085 (WhatsApp).

Busca

Acesso Rápido

Destaque