Plano Diretor reúne comunidade da Praia Campista

2005-08-23 15:19:22 - Jornalista: Catarina Brust
Compartilhe:  

Construir mais escolas, tirar a travessia da linha do trem e solucionar o problema de alagamentos. Qual será a prioridade dos moradores na hora de discutir o que vai constar da elaboração do Plano Diretor? Esse foi o foco da discussão da Oficina de Mobilização realizada nesta segunda-feira (22), na Escola Estadual Municipalizada Coquinho, na Praia Campista.

Ao fazer sua palestra o coordenador do Plano Diretor, Hermeto Didonet, enfatizou que a população tem a chance neste momento de direcionar o que quer para melhorar a qualidade de vida da cidade. “A tarefa de elaborar o Plano Diretor é uma conjunta e tem que ser discutida amplamente com a comunidade. É a hora de exercitar a cidadania. A comunidade deverá fazer uma escala de prioridades para os problemas a serem solucionados”, disse Didonet.

O presidente da Associação de Moradores da Praia Campista, Edson Dias de Carvalho, explicou que o bairro tem diversas demandas a serem resolvidas. A travessia de pedestres na rodovia Amaral Peixoto, a altura dos prédios construídos na orla, os alagamentos e a segurança pública, foram alguns problemas apontados. “Nós realizamos uma pesquisa junto aos moradores e eles pediram que fosse instalado um semáforo acionado por eles próprios ao atravessarem a Amaral Peixoto. Temos que diminuir o gabarito dos prédios na orla, pois os já construídos fazem sombra na areia da praia”, informou o presidente da associação.

Como morador e clínico geral da unidade do Programa Saúde da Família (PSF) do bairro, Walter Pereira Gomes, disse que a elaboração do Plano Diretor é uma excelente iniciativa do prefeito de Macaé. “Eu aplaudo essa idéia e espero que não fique só no papel”, acrescentou.

A enfermeira chefe da unidade do PSF, Cláudia Becker, conhece bem as necessidades da Praia Campista por conviver diretamente com as famílias. “Pelo que acompanho, a maior necessidade do bairro é ter projetos para os adolescentes ocuparem as horas ociosas. Cursos profissionalizantes e atividades esportivas seriam uma alternativa para os jovens residentes na Praia Campista”, disse Cláudia.

Hermeto Didonet explicou que deverão constar na Lei do Plano Diretor mecanismos que ordenem o crescimento da cidade para que haja mais qualidade de vida para a população do município. “Precisamos discutir o que queremos para Macaé. Não cabe ao Plano Diretor uma visão micro, mas sim uma visão de futuro. Todo mundo está motivado para ver uma Macaé melhor. O prefeito Riverton Mussi quer direcionar os investimentos de acordo com o que for apresentado pela população”, disse Didonet.

Busca

Acesso Rápido

Destaque