Policiais militares vão atuar na Patrulha Maria da Penha

2019-09-09 15:34:00 - Jornalista: Liliane Barboza
Compartilhe:  
Foto: Rui Porto Filho
Denúncia de violência doméstica lidera chamadas no 190

A Patrulha Maria da Penha-Guardiões da Vida, do 32º Batalhão de Polícia Militar de Macaé (BPM), foi lançada na manhã desta segunda-feira (9), na Praça Veríssimo de Melo, em parceria com a Rede de Proteção e Atendimento à Mulher. O evento contou com atividades como apresentação do grupo Grutas, do Núcleo de Educação Permanente da Secretaria de Saúde, aferição de pressão arterial, corte de cabelo, maquiagem artística, demonstração do Canil da Guarda Municipal, entre outras. Serão quatro policiais militares que vão trabalhar em conjunto com a Patrulha Maria da Penha da Guarda Municipal, que funciona há dois anos e meio.

A coordenadora do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), Jane Roriz, explicou que os policiais militares receberam capacitação para monitorar as medidas protetivas, evitar reincidência e novos casos de violência contra a mulher.

"Os policiais militares atuarão em Macaé, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Quissamã, Rio das Ostras e Carapebus. O objetivo é realizar trabalho integrado com a Patrulha Maria da Penha da Guarda Municipal, que já existe há dois anos e meio", destacou.

Jane informou ainda que o programa foi inspirado na experiência bem sucedida em algumas cidades do Estado para prevenir a violência contra a mulher.

"O programa, lançado oficialmente pela Polícia Militar no dia 5 de agosto, foi concebido através da parceria do comando da Polícia Militar e o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, para possibilitar atendimento estruturado e especializado nos casos de violência doméstica", acrescentou a coordenadora.

Segundo dados da Polícia Militar, as denúncias de violência doméstica, principalmente contra a mulher, lideram o ranking do acionamento ao número 190. No primeiro semestre de 2019, das 164.581 chamadas recebidas pelos operadores do serviço, 30.617 eram para atender ameaças contra mulheres.

Policiais estão capacitados para atendimento integral a vítimas

A cabo Cristina Guimarães do 32º Batalhão de Polícia Militar (BPM), que atuará na Patrulha Maria da Penha-Guardiões da Vida, assinalou que a capacitação foi fundamental para que ela pudesse ter mais embasamento e atuar nas ocorrências.

"A nossa capacitação foi em Campos e, além das técnicas de abordagem, o que me chamou mais a atenção foram as palestras ministradas pelos psicólogos e assistentes sociais. Estamos atuando efetivamente há 15 dias e, infelizmente, já estamos acompanhando muitos casos tristes e, muitas vezes, a mulher tem dificuldade de expor o que passa com o companheiro. Mas, vendo a figura de uma policial do sexo feminino, elas se sentem com mais coragem de tomar alguma atitude, contou a policial militar.

O sargento Carlos Sant´Anna analisou que a sociedade terá a oportunidade de ver um outro lado da Polícia Militar.

"Fico lisonjeado em trabalhar nesse programa, pois estaremos atuando em uma questão social muito grave. Aprendi na capacitação sobre a importância de ser ter empatia e se colocar no lugar das vítimas da violência e entender principalmente o aspecto psicológico de todos", ressaltou.

Serviço

O Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) fica na Rua São João, 33, ao lado da 123ª Delegacia Legal. Mais informações pelos telefones 2796-1045 e 2791-6620.

Disque Mulher/ Patrulha Maria da Penha: 0800-2822108.

Polícia Militar: 2765-7296 e 98168-2344.

Busca

Acesso Rápido

Destaque