Prazo para cadastro e recadastro de ambulantes termina nesta quinta

2019-01-30 14:49:00 - Jornalista: Equipe Secom
Compartilhe:  
Foto: João Barreto
Até agora 470 ambulantes renovaram a permissão municipal ou se cadastraram pela primeira vez

O cadastro e o recadastro de ambulantes junto à Prefeitura de Macaé terminam nesta quinta-feira (31). O processo foi iniciado no dia 10 de dezembro do ano passado. Até agora 470 vendedores renovaram a permissão municipal e fizeram a ficha pela primeira vez.

Os interessados devem comparecer ao protocolo geral da prefeitura, localizado na Avenida Presidente Sodré, 534, Centro. É necessário levar cópia da credencial anterior, foto 3x4, atestado de saúde atualizado, cópia do certificado de regularização sanitária de ambulantes (CRSA), em caso de alimentos.

Para cadastro novo, é preciso, também, cópia do CPF, título de eleitor e comprovante de residência. O atendimento acontece das 8h às 17h. Mais informações pelo número 2765-8700, ramal 260.

Se o profissional não se recadastrar e for flagrado em atividade pelos fiscais da Prefeitura de Macaé, terá sua mercadoria apreendida e levada para um depósito do município. Para reaver os produtos, o ambulante terá que pagar uma multa no valor de 600 URMS.

Oportunidade de trabalho

Segundo a Coordenador de Posturas, Paulo Ivo, o objetivo da ação é promover o ordenamento do município."Para isso, a prefeitura realiza, anualmente, o cadastramento de comerciantes informais que desejam atuar nas vias da cidade", informa.

Os ambulantes vendem à população produtos alimentícios e bebidas como salgados, água de coco, pipoca. Atuam em locais como as praias de Imbetiba e dos Cavaleiros, nas praças Washington Luiz e Veríssimo de Mello e em ruas dos bairros Centro, Visconde de Araújo e outros pontos.

O fiscal de posturas Rafael dos Santos ressaltou que a procura pelo cadastramento e recadastramento está sendo grande. "Muita gente que está desempregada tem buscado sobrevivência no comércio informal, como vendedores ambulantes", explica.

Desempregada há dois anos, a auxiliar de serviços gerais, Maria de Jesus quer vender pipoca nas ruas próximas à rodoviária. Ela busca autorização para desenvolver essa atividade. Já a auxiliar administrativa Jéssica Nascimento trabalhou em transportadora nos anos 2017 e 2018. "Quero vender açaí na praia. Também estou desempregada e busco exercer atividade digna, que me sustente", garante.

Busca

Acesso Rápido

Destaque