Primeiro ‘Café Literário’ do ano é sucesso de público

2019-02-28 11:05:00 - Jornalista: Andréa Lisboa
Compartilhe:  
Foto: Andréa Lisboa
Público participou de oficina sobre haikai, poema de origem japonesa

O primeiro ‘Café Literário’ do ano, projeto mensal da Secretaria de Cultura, aconteceu na noite desta quarta-feira (27) no Solar dos Mellos – Museu da Cidade de Macaé. O público, que lotou o auditório Presidente Washington Luis, participou de uma oficina de haikai, ministrada por Gerson Dudus, que coordena a ação para incentivo da leitura, produção e fruição da poesia, ‘Língua do P’, realizada às terças-feiras, às 19h, no balcão nobre do Teatro Municipal de Macaé.

O haikai é um poema de origem japonesa composto por apenas três linhas que busca registrar, como em uma fotografia, uma sensação, imagem mental, ou ideia. A natureza é uma das principais inspirações para o haikai. Esta arte propõe uma observação ampla e depois um olhar mais detalhado, até a captura do resumo do conceito.

Gerson que há mais de dez anos ministra cursos de poesia e está há 40 envolvido com este gênero literário, iniciou a sua palestra explicando a raiz do haikai, abordando a trajetória criativa filosófica de monges zen budistas. Ele apresentou essa forma exótica de compor versos, sem rimas, adjetivos e metáforas, apenas com três gestos e ritmo, falando de sua própria experiência com o haikai. Os primeiros versos mostrados, compostos principalmente por substantivos concretos, causaram um estranhamento inicial na plateia, formada por estudantes do Ensino Médio, graduandos, professores e público em geral, que logo foi apreendendo o sentido daquela construção e se rendendo à poesia japonesa.

"O haikai é uma poética da percepção. Para se criar um é preciso olhos atentos e ouvidos livres. É preciso estar fora da rotina. Quando algo nos atravessa dentro de nossa realidade, é o momento de se produzir um haikai, disse o poeta.

A auxiliar administrativa, Jéssica Barreto, escreve canções. Com o desejo de aprimorar a sua técnica como compositora, buscou a oficina. “Quis conhecer mais para melhorar a minha produção. Tenho o desejo de escrever algo que os outros possam apreciar. O estranhamento de início foi quebrado à medida que o professor exemplificou usando a sua própria experiência na criação de haikais. Eu achei lindo e vou fazer”, frisou.

Durante a oficina, os participantes tiveram a oportunidade de produzir os seus haikais. Segundo a produtora do ‘Café Literário’, Helen de Freitas, a Secretaria de Cultura, por meio do Solar dos Mellos, emitirá certificado de participação. O documento estará disponível a partir do dia 11 de março. “Estamos felizes porque a cada encontro temos mais adesão do público”, destacou.

O ‘Café Literário’ acontece sempre às últimas quartas-feiras de cada mês, às 18h, no museu da cidade, Rua Conde de Araruama, 248, no Centro. Não é necessária inscrição prévia. Todos os eventos realizados no Solar dos Mellos têm entrada franca e estão sujeitos a lotação de 35 pessoas no auditório.

Busca

Acesso Rápido

Destaque