Projeto "Centro Esporte e Educação" entra em recesso

2020-07-23 16:37:00 - Jornalista: Joice Trindade
Compartilhe:  
Foto: Arquivo Secom

Cerca de 90 alunos da Escola Municipal Paulo Freire (Lagomar) e do Colégio Municipal Engenho da Praia seguem participando das atividades não presenciais do "Centro Esporte e Educação", que terá recesso no período de 27 a 31 deste mês. A ação conjunta da Prefeitura de Macaé, por meio da parceria entre a Secretaria de Educação, Petrobras e Sesi/Firjan intensificou o trabalho virtual para atender estudantes e familiares. A volta do projeto on-line será a partir de três de agosto.

Ainda no mês de agosto, como apoio aos responsáveis dos atendidos identificados em situação de vulnerabilidade, a equipe do projeto também vai prosseguir com a terceira etapa de entregas de cestas básicas, kits de higiene e máscaras. A data será marcada junto aos diretores dos espaços escolares e familiares. A distribuição seguirá as recomendações para evitar aglomeração.

Durante este período de distanciamento social, o projeto intensificou as atividades direcionadas aos alunos e familiares. Por meio de grupos de WhatsApp, participantes recebem aulas de reforço de conteúdos, como Português e Matemática. Em virtude da pandemia, outros conteúdos também estão sendo abordados, como alimentação, higiene e manuseio de alimentos. Já na área de Educação Física são sugeridas atividades físicas como circuitos, que podem ser feitos em casa.

Projeto também informa sobre utilidade pública

Além disso, através da atuação de assistentes sociais do projeto, os familiares estão tendo a oportunidade de tirar dúvidas sobre assuntos de utilidade pública, como Bolsa Família, auxílio emergencial do Governo Federal (no valor de R$ 600), e a Bolsa Alimentação, concedida pela Prefeitura de Macaé, no valor de R$ 200 por aluno matriculado na rede municipal.

Em períodos de aulas presenciais, o "Centro Esporte", segundo o pedagogo do projeto, Sérgio Moreira, acontece no horário divergente aos de aulas, com atividades esportivas, oficinas de teatro, músicas, reforço escolar e palestras. "Agora de forma remota, o projeto segue com aulas de Matemática, Português, Cultura, Artes, Desenvolvimento Humano e Esporte. O suporte aos atendidos e seus familiares é uma das prioridades durante a pandemia", ressaltou.

A diretora da Escola Municipal Paulo Freire, Joelma Pereira Martins, observa que o projeto só agrega fatores positivos. "Em 2019, foi muito bom ver o resultado de ações como dinâmicas e rodas de conversa sobre bullying, preconceito, protagonismo juvenil e violência. Além de jogos com os estudantes participantes, palestras com pais e familiares e trabalhos de nutrição e educação ambiental. Este ano, mesmo de forma on-line, o projeto está sendo positivo", finalizou.

Busca

Acesso Rápido

Destaque