Projeto Defensores da Paz forma 30 alunos

2019-05-08 10:59:00 - Jornalista: Joice Trindade
Compartilhe:  
Foto: Bruno Campos
Alunos tiveram aula de direitos humanos, da mulher, da criança e do adolescente

O projeto Defensores da Paz realizou, nesta terça-feira (7), a formatura de 30 alunos. O curso durou quatro meses e contou com palestras, contação de histórias para líderes comunitários, estudantes de Direito, conselheiros, educadores e outros profissionais. Macaé é a primeira cidade da região a receber o projeto, desenvolvido por meio da parceria da Defensoria Pública e Secretaria de Educação.

Foram promovidas aulas sobre direitos e garantias fundamentais, possibilitando conhecimento sobre temas como direitos humanos, sistema de justiça, educação, habitação, saúde, abordagens policiais, tortura, discriminação, direitos das mulheres, das crianças e adolescentes, abordagens policiais, associação, tortura e tratamentos degradantes.

A realização é da Defensoria, por meio da Coordenadoria Geral de Programas Institucionais e o Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh). A cerimônia de formatura contou com a Defensora Pública, Karen Simões (Núcleo de Primeiro Atendimento da Imbetiba), Secretária Adjunta de Qualificação Profissional, Leandra Lopes e a Ouvidora da Defensoria Pública, Fabiana Lopes. Estiveram presentes a coordenadora do Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), Jane Roriz, a representante do Centro de Educação Tecnológica e Profissional (Cetep), Flaviá Picon e a professora e idealizadora do Grupo de Dança Afro Maringá, Gabriela Franklin.

Para a defensora pública, o encerramento do Defensores da Paz é o inicio de uma nova etapa. "É gratificante ver a realização positiva deste projeto. Conseguimos atingir as pessoas da comunidade e reforçar a rede de proteção pública. Percebemos que esta integração foi fundamental. Queremos focar em outras edições com um novo formato em que os integrantes fiquem cada vez mais próximos dos objetivos do projeto, que será semi-presencial e provavelmente realizado em um espaço escolar", ressaltou a defensora pública.

Já a Secretária Adjunta de Qualificação Profissional, Leandra Lopes, agradeceu a parceria."Acredito que a educação vai muito além. Este encerramento me emocionou. Parabéns a todos os que se dedicaram ao projeto voltado para direitos, deveres e multiplicação de informação nos locais em que vivem", destacou.

Antes da entrega de certificados, a cerimônia foi marcada por duas apresentações culturais. Uma delas foi a do grupo "Som do Parque", do projeto "Apadrinhe um Sorriso", que atende crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social. Os representantes de Duque de Caxias apresentaram dança, interpretação e coral cênico com destaque para temas como "Mulher", "Negros" e " Comunidade". Já os integrantes do projeto de dança afro do Ciep Municipal Maringá, Emanuele Farias França e Jeferson Neres dos Santos também arrancaram aplausos do público.

Os participantes Neide Brito, Rodolfo Freitas e Marynne Freitas se emocionaram. "Conhecemos muitas pessoas. Aprendemos muito. Compartilhamos ideias e percebemos que temos muito que agregar e lutar. Hoje com mais respaldo poderemos ajudar muito mais", pontuaram.

O agente socioeducativo do Centro de Recursos Integrados do Adolescente (Criaad), Ely Araújo, também aprovou a programação. "Foi maravilhoso aprender mais e ter contato com novas pessoas, que priorizam a cidadania, os direitos e deveres. Hoje, o Centro atende 19 jovens na faixa de 12 a 21 anos que cumprem medidas socioeducativas. Fiz questão de trazer alguns integrantes no encerramento. Eles apresentaram produções do projeto reciclar coisas, resgatar pessoas", observou. O projeto começou em 2016, no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro.

Busca

Acesso Rápido

Destaque