Projeto Ninho de Leitores atrai alunos e comunidade

2019-06-04 11:20:00 - Jornalista: Joice Trindade
Compartilhe:  
uma mulher com um livro em mãos dentro de uma sala e crianças ao redor
Foto: Divulgação
Biblioterapia é a literatura para fins terapêuticos, que destaca sentimentos e emoções

Em Macaé, o estímulo pela leitura é destacado nas salas de aula. Um dos projetos desenvolvidos é o "Ninho de Leitores", que além de integrar alunos do Ciep Municipal Maringá, no Campo do Oeste, também mobiliza a comunidade escolar: pais, familiares e profissionais. Uma das novidades é a biblioterapia - literatura para fins terapêuticos -, com empréstimos de livros e rodas de leitura.

Conduzido pela professora Fabíola Barcelos, o "Ninho de Leitores" conta com apresentação de autores e obras, além de oficina de leitura, poesia e sarau de poesia junto aos estudantes do 1º ao 5º ano. O projeto desperta olhares, curiosidade e o gosto pela leitura. Entre os alunos estão Ane Karoline Correa da Silva e Theo Barcelos. "Amo ler. Um dos meus livros favoritos é Menino Azul. Em casa faço leitura com minha família", frisa. Theo Barcelos lembra que esse mês amou saber mais sobre a história da África no projeto. "Temos que respeitar o próximo. Ficamos sabendo mais sobre Nelson Mandela", lembra.

Os alunos conhecem mais a respeito de autores renomados. Neste mês, o destaque é o escritor, poeta e crítico literário Paulo Leminski. Já no mês de junho será a vez da poetisa, jornalista e pintora Cecília Meireles.

O projeto também se estende ao Grupo de Leitores, promovido no contraturno com alunos do 6º ao 9º ano. Além da oportunidade de ter acesso a um livro por mês, eles participam de rodas de conversa, leitura e saraus. O "Ninho de Leitores" é um projeto que, segundo Fabíola Barcelos, foi idealizado com a proposta de revitalizar a sala de leitura. "Estou muito feliz. Além das aulas normais, estamos conseguindo trabalhar com atividades pedagógicas integradas com os professores. Este projeto contribui na formação do aluno e comunidade escolar", pontua.

O objetivo, de acordo com o secretário de Educação, Guto Garcia, é contribuir para o maior domínio da linguagem, criatividade e potencialidade. "A leitura destaca habilidades essenciais para um aprendizado de qualidade e formação de alunos mais engajados com os estudos", ressalta.

Para Guto Garcia, rodas de leitura, contação de histórias, debates e outras iniciativas que estimulam a reflexão e a discussão de temas são ótimas formas de permitir os alunos irem além da leitura dos textos recomendados pelos professores. "A leitura enriquece o processo de ensino", destaca.

Além da realização de projetos ligados ao fomento da leitura e da literatura no município, a Coordenação de Referência à Leitura promove o Historiarte, grupo de contadores de histórias. Já o Estante de Histórias é um móvel com livros com temas infantis e juvenis, cartilhas de atividades para os alunos, além de materiais para exercícios de rotina.

Busca

Acesso Rápido

Destaque