Educação segue implantando maior programa de climatização da história de Macaé

2020-02-05 09:31:00 - Jornalista: Waleska Freire
Compartilhe:  
lateral de uma escola pública
Foto: Ana Chaffin
A Escola Ana Maria Bacellar Leite e Santos é uma das já climatizadas

Desde janeiro de 2019 a Secretaria Municipal de Educação iniciou programa audacioso de instalar ar condicionado nas 106 escolas da rede pública de ensino visando proporcionar mais conforto aos alunos e professores. Esse processo foi dividido em três fases. Na primeira, ano passado, começando por 42 escolas; a segunda fase, foi iniciada em outubro de 2019 para atender outras 28 escolas, cuja licitação será realizada até o dia 20 de fevereiro. A instalação nessas 28 escolas está prevista para começar em março, com término no mês de junho. Já a terceira fase, iniciada em janeiro, está executando os projetos elétricos de 36 escolas. A licitação será realizada até maio e a instalação nessas 36 unidades vai acontecer durante segundo semestre. A previsão é que até dezembro todas as escolas e unidades de Cemeaes estejam com ar condicionado instalados.

O secretário de educação, Guto Garcia, explica que o processo de implantação da climatização nas escolas não se limita apenas à compra dos aparelhos de ar mas depende, principalmente, dos projetos elétricos feitos em cada unidade com levantamento de todos os dados técnicos, instalações de padrões e ligações feitas pela Enel.

"Nunca foi colocado ar condicionado nas escolas públicas. É a primeira vez na história do município que fazemos um projeto tão amplo de climatização em todas as salas de aula. A implantação desse programa de climatização foi iniciada em três etapas. Primeiro foi feito nas 42 maiores escolas do município, e as segunda e terceira fases foram iniciadas em paralelo para atender as demais e também os Cemeaes. Ter uma sala de aula climatizada não serve apenas para tornar o ambiente escolar confortável, mas para aumento do desempenho dos alunos", informou o secretário, Guto Garcia.

O superintendente de infra estrutura, Fabrício Reid, explica que não é simples fazer o projeto elétrico de cada escola porque muitas não comportam os padrões técnicos para ter ar e toda instalação elétrica tem que ser refeita, o que demanda muito tempo, além da demora no atendimento da Enel.

Segundo Fabrício, algumas escolas estão com ar condicionado, mas ainda sem funcionar devido problemas técnicos. É o caso do Colégio Eraldo Mussi, cujo processo está na Enel para programar a ligação; a Escola Estadual Municipalizada Santa Maria, onde os técnicos estão ajustando as configurações dos aparelhos instalados; no Colégio Wolfango está sendo finalizada a parte elétrica para início da instalação; a Escola Municipal Amil Tanus está com a instalação em andamento e o Colégio Professora Elza Ibrahim passa por adequação dos circuitos para funcionar com equipe elétrica no local. "Estamos trabalhando nesse projeto com processos e licitações em andamento para instalação de padrões para que todas as escolas estejam com ar até o final deste ano."

Conheça as listagens das escolas com o status de climatização:

Unidades escolares climatizadas

Unidades escolares com climatização a licitar

Unidades escolares sem climatização - próximo processo

Busca

Acesso Rápido

Destaque