Prefeitura Municipal de Macaé

Macaé busca retomar crescimento

2017-03-29 18:27:00 - Jornalista: Tatiana Gama
Compartilhe:  
Foto do prefeito, doutor Aluízio, falando no encontro
Foto: João Barreto
Encontro Avant Premiére da Brasil Offshore 2017 discutiu entraves do setor

"Voltar a gerar emprego é o único caminho para o país sair da crise". A avaliação do prefeito Dr. Aluízio foi destacada durante o evento Avant Premiére da Brasil Offshore 2017 - primeira discussão prática que antecede a proposta de legislação do petróleo a ser apresentada no Congresso Nacional, em Brasília (D.F.). O encontro, que aconteceu nesta quarta-feira (29), no Hotel Grand Nobile Macaé, reuniu representantes políticos e da cadeia de óleo e gás.

- Precisamos trazer o fundamental: o emprego de volta. Esse cenário de desemprego é gerado pela falta de investimentos no setor. O Brasil passa por grandes transformações que atingem nosso dia a dia. Em Macaé, saímos da marca de 163 mil empregos formais para 125 mil nos últimos dois anos. O país entendeu que a operadora única trazia entraves. Agora, a questão do conteúdo local é mais um adendo que precisamos massificar a informação para gerar mudanças - frisou o prefeito.

O debate, moderado pelo jornalista Willian Waack, especialista em política e economia, discutiu temas como conteúdo local, tributação, licenciamento, abertura do capital estrangeiro e flexibilização do operador único. Ele apontou o conteúdo local - que assegura preferência à contratação de fornecedores brasileiros nos contratos de exploração e produção de óleo e gás - como um dos principais entraves da economia.

- Há uma série de dilemas graves. Chegamos a esse cenário vivendo uma crise de escala, fiscal e representatividade, que envolve todo um contexto social. O mercado de trabalho não comporta mais profissionais mal qualificados. Porém, necessitamos de resultados imediatos. O conteúdo local, na minha avaliação, é o grande entrave dessa crise - disse Waack.

O secretário executivo do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), Antônio Guimarães, falou sobre a importância de toda região do petróleo estar engajada na atração de novos investimentos. "Temos um potencial geológico favorável do pré-sal e boa parte está na Bacia de Campos. A suspensão dos leilões a partir de 2005 gerou o cenário atual de crise. Nos últimos anos, 40% do petróleo descoberto no mundo são do Brasil. A decisão é como vamos transformar isso em valor para o país. Precisamos reduzir a carga de impostos para ganharmos competitividade internacional. Acredito também nos leilões e pacote fiscal atrativo", explicou.

O presidente da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo (ABESPetro), José Maria de Mello Firmo, apontou a retomada de investimentos na área de exploração como fator primordial para o retorno do desenvolvimento. "A estagnação da exploração interrompeu o desenvolvimento da produção. Para cada emprego perdido na indústria do petróleo, reflete-se em dez na cadeia produtiva", acrescentou.

Feira Internacional tem como foco retomar a indústria do petróleo

A Brasil Offshore - Feira e Conferência Internacional da Indústria de Petróleo e Gás - acontecerá em Macaé, entre os dias 20 e 23 de junho. O vice-presidente da empresa organizadora, a Reed Exhibitions Alcântara Machado, Paulo Otávio, afirmou que a edição especial de 40 anos da Bacia de Campos marca a retomada da indústria do petróleo.

- Em um ambiente essencialmente técnico, os profissionais do setor descobrem as novas tecnologias e soluções em produtos e serviços especializados, resultando em uma atmosfera de intenso networking, formação de parcerias e geração de negócios. A expectativa é mais de R$ 220 milhões em negócios, 550 empresas participantes, 52 mil visitantes, atrações técnicas, em 40 mil metros quadrados de evento. A proposta da Brasil Offshore 2017 é discutir a retomada do petróleo. Ela acontece antes da 14ª Rodada de Licitações, prevista para setembro deste ano, que traz grandes expectativas - ressaltou Paulo Otávio.

Para o diretor da Brasil Offshore, Igor Tavares, a feira, terceira maior do mundo no segmento de óleo e gás, que conta com a parceria da Prefeitura de Macaé, é uma oportunidade de promover o debate, além de tratar a evolução da indústria do petróleo. "Macaé é o local da indústria do petróleo no país. A 14ª rodada de leilões realizará licitações de 291 blocos. Destes, dez são da Bacia de Campos, o que prova que a região continua com o mesmo vigor e fôlego. Com isso, esse é o momento dos diversos nichos da cadeia da indústria do petróleo conversarem para melhores negociações", pontuou Igor.

Conteúdo Local

Os Contratos de Concessão para Exploração, Desenvolvimento e Produção de Petróleo e Gás Natural, firmados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) com as empresas vencedoras nas rodadas de licitações, incluem a cláusula de Conteúdo Local, que incide sobre as fases de exploração e desenvolvimento da produção. De acordo com essa cláusula estabelecida pela ANP, as concessionárias devem assegurar preferência à contratação de fornecedores brasileiros sempre que suas ofertas apresentarem condições de preço, prazo e qualidade equivalentes às de outros fornecedores também convidados a apresentar propostas.

Busca

Acesso Rápido

Destaque