Macaé cobra celeridade no processo do novo Terminal Portuário

2015-11-19 18:24:00 - Jornalista: Equipe Secom
Compartilhe:  
Foto da reunião.
Foto: Divulgação
Encontro aconteceu nesta quinta-feira (19), em Brasília

Brasília – O secretário de Meio Ambiente, Gerson Martins, participou nesta quinta-feira (19), em Brasília, juntamente com o vereador Maxwell Vaz, de reunião com o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Cláudio Maretti, para cobrar celeridade no processo de licenciamento prévio do Terminal Portuário (Tepor), a ser construído em São José do Barreto. O ICMBio é um órgão ambiental vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, responsável pela gestão das unidades de conservação nacionais.

Durante o encontro, O ICMBio informou que vai solicitar informações do processo à sua Coordenação Regional no Rio de Janeiro – CR 8, oferecendo apoio àquela regional, e se comprometeu em dar retorno até próxima quarta-feira (25), colocando o assunto em regime de prioridade do órgão.

De acordo com o secretário de Ambiente, a cobrança é em relação à demora da regional do ICMBio para responder às questões do processo de licenciamento do empreendimento portuário.

- Precisamos que haja rigor e celeridade no andamento desse processo, já que o setor de petróleo foi tão afetado pela conjuntura econômica internacional, com reflexos significativos em Macaé. O empreendimento, além da geração de emprego direta da construção, ampliará a capacidade portuária da cidade e, consequentemente, a possibilidade de negócios e mais empregos - destacou Gerson, que representou o prefeito Dr. Aluízio, acrescentando que Macaé já conta com uma excelente infraestrutura para os investimentos da indústria petrolífera como rede extensa de hotelaria, estradas de qualidade e também está realizando o maior plano de saneamento básico do Estado, o que cada vez mais tem atraído empresas.

A reunião contou ainda com a presença do vereador Amaro Luiz.

Tepor - O projeto do Terminal Portuário de Macaé prevê a composição de duas áreas, uma construída às margens da Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), para retroporto, atracagem, pátio de pré-embarque de carga em geral, retroáreas e edificações para abrigar o setor administrativo e de armazenagem.

A outra área será o terminal offshore, com 14 berços para atracações.

Busca

Acesso Rápido

Destaque