Opção de voos comerciais para Macaé cada vez mais perto

2019-02-26 16:53:00 - Jornalista: Catarina Brust
Compartilhe:  
Foto: Arquivo Secom
Doze empresas, além de grandes investidores, já demonstraram interesse no Aeroporto após visitas técnicas

"Venha a Macaé voando". É com essa perspectiva que o governo municipal está trabalhando em relação à liberação para operações na pista, ocupação do novo terminal de passageiros e do leilão de concessão do Aeroporto de Macaé. Para o município, o retorno dos voos regulares representa uma retomada para a economia local e regional, fomento para o turismo de lazer, além da geração de empregos e renda. O leilão dos 12 aeroportos das regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, que inclui Macaé E Vitória (ES) será realizado dia 15 próximo, na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), na capital paulista. Já a inauguração da pista e do terminal do Aeroporto de Macaé está prevista para o dia 12 de março com a presença do secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Saggioro Glanzmann.

De acordo com o governo Federal, com o leilão dos 12 aeroportos das regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, mais de R$ 3,5 bilhões de investimentos estão previstos nesses terminais aeroportuários. Até agora, 12 empresas nacionais e internacionais, além de grandes investidores, já demonstraram interesse, confirmado através de visitas técnicas ao Aeroporto de Macaé.

A arrecadação mínima com o leilão dos 12 terminais será de R$ 219 milhões. Esse valor deve ser pago à vista. Ao longo da concessão ainda devem ser pagos R$ 2,1 bilhões em outorga. A outorga, variável, será calculada em cima da receita bruta da futura concessionária, sendo de 8,2% para o bloco Nordeste; 8,8% para o bloco Sudeste; e 0,2% para o Centro-Oeste. O prazo de concessão será de 30 anos.

Terminal de passageiros e a nova pista

O novo terminal de passageiros passou dos 900 metros para 11 mil metros quadrados, com estacionamento para 450 vagas, que anteriormente eram 74. Um empreendimento que tem tudo para alavancar a economia do entorno, pois com esse novo espaço existe a perspectiva da instalação de muitos empreendimentos dentro do terminal que funcionará 24 horas. O local também possui balcões de check in e de informações, painéis de led com informações de voos, sistema de som e ar condicionado, além de equipamentos de segurança, com raio x e esteiras rolantes para bagagens.

"O terminal tem conceito de "aeroshoping", com público-alvo, além dos passageiros e trabalhadores, a população do entorno, disponibilizando lojas, bancos e praça de alimentação. Vai ser o maior empreendimento da área, favorecendo o movimento econômico e de pessoas", explica o consultor do gabinete do prefeito de Macaé, Dr. Aluizio, Hélio Batista, completando que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda fará a ponte para que os novos proprietários, após o leilão, conheçam o que a cidade oferece.

Em 2018, segundo dados da Infraero, o Aeroporto de Macaé registrou 10.900 movimentos (pousos e decolagens) de asas rotativas (helicópteros) e 140 mil passageiros contabilizados. Enquanto em 2014, foram 59.687 movimentos com 453.551 passageiros circulando no local. Até 2014, éramos o maior aeroporto da América Latina em pousos e decolagens. Em 2015, foram suspensos os voos de aeronaves comerciais.

Voos de 114 lugares

Com a reforma da pista, que possui 1.200 metros de comprimento x 30, foi ampliada a capacidade para receber aeronaves E190, da fabricante brasileira Embraer, de até 114 lugares,permitindo o pouso e decolagem de voos comerciais. As obras foram realizadas pelo governo Federal.

A empresa de aviação Azul já demonstrou interesse em voltar a operar em Macaé. As rotas mais prováveis para Macaé são: Vitória, Rio de Janeiro (Santos Dumont) e Campinas.

"A perspectiva é de incremento com a licitação de novas áreas e de campos maduros na Bacia de Campos. A indústria do petróleo é que faz o movimento no Aeroporto. A intenção é focar também no turismo de lazer, já que o município oferece todas as possibilidades tem mar, serra, lagoa e rio. A rede hoteleira é maravilhosa, sendo a segunda maior do estado, além da variedade de restaurantes disponíveis na cidade", completa o consultor.

Hélio Batista lembra que um dos objetivos do município, juntamente com a sociedade organizada, é trazer de volta os voos comerciais e qualificar mão de obra para atender as demandas do Aeroporto. Para atuar nas áreas restritas dos aeroportos é necessário formação em Segurança da Aviação Civil, cursos ministrados através de empresas credenciadas pela Agência Nacional da Aviação Civil (Anac).

"A previsão de inauguração da pista e do terminal trazem grande esperança porque sabemos que está tudo sendo encaminhado. Com a proximidade da Brasil Offshore (feira de petróleo e gás que acontece entre os dias 25 e 28 de junho, em Macaé) tanto os expositores quanto os visitantes terão mais uma opção para virem ao município, muito mais rápido, utilizando um voo comercial. São boas as perspectivas de ter a retomada de todos esses voos, acrescentando a isso o turismo de lazer", finaliza o consultor.

O bloco sudeste, composto pelos aeroportos de Macaé e Vitória, deve ser um dos mais disputados no leilão que contará ainda com outros dez aeroportos divididos em dois blocos, o Nordeste (Recife, Maceió, Aracaju, João Pessoa Campina Grande e Juazeiro do Norte) e o Centro-Oeste (Cuiabá, Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta).

Busca

Acesso Rápido

Destaque