Prefeitura faz mutirão de limpeza na Ilha do Francês

2014-12-07 11:57:00 - Jornalista: Alexandre Bordalo
Compartilhe:  
Foto de um homem retirando lixo da Ilha do Francês
Foto: Ana Chaffin
O mutirão de limpeza no local aconteceu neste sábado (6)

 Nos períodos da manhã e da tarde deste sábado (6), a prefeitura realizou o projeto ‘Verão Limpo’, na Ilha do Francês. Um mutirão de limpeza foi promovido pela Secretaria de Ambiente (Sema). Quarenta pessoas – entre funcionários da Secretaria de Limpeza, da Defesa Civil, da Guarda Ambiental e do Iate Clube, além de membros do 43º Escoteiro (Frade) e alunos do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé (NUPEM), estiveram no arquipélago de Sant’Anna.

 Na ocasião, foram recolhidos 25 sacos de lixo da ilha do Francês, com capacidade para 50 litros cada. De acordo com o secretário de Ambiente, Gerson Lucas, o objetivo do projeto é promover a conscientização. “Macaé é rica turisticamente em contar com cachoeiras, serra, lagoa, rios, ilhas e praias. É preciso promover a preservação”, pontua.

Durante a limpeza feita no local, pichações foram apagadas com jato d’água. Para o assessor da Sema, o ambientalista Vicente Klonovsk, elas ofendem a paisagem. “É necessário deixar a ilha bonita como um importante ecossistema que é. O material recolhido (plástico, latas de alumínio, restos de carvão, sacos de biscoito, carteiras de cigarros e outros) é deixado lá por turistas com maus hábitos. Mas muitos resíduos chegam à ilha levados por correntes marinhas. Todo esse lixo afeta peixes e aves, que se alimentam com algas marinhas, pois as confundem com sacolas de plástico, que os asfixia", explicou.

A simples ação de recolher o próprio lixo das margens dos recursos hídricos e descartá-lo em local adequado ajuda a reduzir as consequências diretas da presença de resíduos em ambientes marinhos e costeiros.

Entre as consequências diretas do descarte de lixo nas praias e nas margens dos rios estão os danos aos seres vivos do ecossistema, como peixes, aves, tartarugas, mamíferos marinhos e invertebrados; a introdução de espécies exóticas (através da dispersão de plásticos flutuantes); os prejuízos à navegação e às atividades pesqueiras; a degradação da paisagem; o aumento de despesas municipais com limpezas periódicas; a dispersão de doenças através da proliferação de roedores e insetos e a diminuição das receitas advindas do turismo.

O projeto ‘Verão Limpo’ teve início neste sábado. No dia 20 será a vez de a mesma ação de limpeza ser feita nas praias do Pecado e dos Cavaleiros, numa parceria entre a Sema e a Ong Ambiental Aqualung. Os interessados em participar devem entrar em contato através de um dos telefones: (DDD 22) 2796-1380, 2796-1151 ou 2796-1280.

Busca

Acesso Rápido

Destaque