Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda

Páscoa: Mercado de Peixes preparado para atender consumidores

2013-03-22 17:13:00 - Jornalista: Maria Isabel Monteiro
Compartilhe:  
Foto: Guga Malheiros
Clientes podem encontrar nas bancas diferentes espécies de peixes; Procon orienta escolha de peixes frescos, conservados em gelo e com olhos brilhantes

Com a proximidade da Semana Santa, aumenta a movimentação do Mercado Municipal de Peixes - nesse período, o consumo do pescado é expressivo. Segundo informações de um dos proprietários das 60 bancas que funcionam diariamente no Mercado, Fabiano Ribeiro, são esperados cinco vezes mais clientes do que normalmente frequentam o espaço e o Mercado está preparado para atender os muitos consumidores com pescado de qualidade.

Os clientes vão encontrar nas bancas diferentes espécies de peixes, como dourados, corvinas, enchovas, cavalas, olhos-de-boi, salmões, pescadinhas, sardinhas, carapebas, entre outros. Frutos do mar como lulas, mexilhões, polvos e camarões-cinza de criadouros - no período de defeso está proibida a pesca de outros tipos de camarões, como o sete-barbas e VGs – são comercializados.

E o preço, segundo os pescadores, não vai aumentar. No período da Semana Santa, o Mercado Municipal de Peixes estará aberto de Quarta-feira de Cinzas (27) a Sexta-feira Santa (29), de 6 horas às 19 horas. No sábado (30), até às 15 horas e no domingo (31) de Páscoa, horário normal, de 7 às 12 horas.

São muitas famílias que vivem da pesca em Macaé. Só no Mercado trabalham nas 60 bancas cerca de 200 pessoas. O movimento é intenso e inclui as bancas do lado de dentro e de fora, onde são vendidos temperos próprios para pescados. Os consumidores podem escolher a mercadoria, acompanhar a pesagem nas balanças eletrônicas e levar para casa um pescado de qualidade.

Comerciantes aprovam obra do Mercado

Os proprietários de banca e os pescadores estão satisfeitos com as obras que a prefeitura realiza no mercado. São construídas 62 novas bancas provisórias, que vão oferecer todo o conforto aos que trabalham, e garantia de higiene e qualidade aos compradores. As bancas provisórias são concluídas e a mudança para o novo local deve acontecer após o feriado da Semana Santa.

Os pescadores e trabalhadores da pesca no município vão aguardar as obras definitivas de um novo Mercado de Peixes, que vai substituir o atual. Será um Mercado moderno, e todos que vivem da pesca e os compradores do pescado vão poder contar com um espaço amplo e higiênico.

Procon orienta consumidores na compra de pescado de qualidade

Segundo a Coordenadoria Extraordinária de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), os peixes devem ser frescos, conservados em gelo, com olhos brilhantes e escamas presas ao corpo. A higiene e o armazenamento também são itens importantes a serem verificados: no supermercado o peixe deve estar em balcão frigorífico e na feira é necessário ter gelo picado por cima, estar exposto em balcão de aço inox inclinado e protegido do sol e insetos, além de ser obrigatório que o feirante use luvas descartáveis.

Quanto ao bacalhau, é importante que o consumidor procure conhecer sua procedência. O Procon orienta para que o consumidor não compre se o peixe estiver com manchas avermelhadas ou pintas pretas no dorso, sinal de presença de bolor ou deterioração. Por ter um preço de venda relativamente alto, a sugestão seria substituir o bacalhau por peixes frescos da temporada.

No caso do peixe congelado e aqueles que são vendidos em embalagens, o balcão onde estiver armazenado não pode estar lotado, porque isso impede a circulação do ar frio e compromete a qualidade. O produto congelado deve estar conservado sempre a temperaturas inferiores a 18 graus e o resfriado, abaixo de zero grau.

De acordo com o Procon, é importante verificar no rótulo o registro no órgão de fiscalização competente, indicação de temperatura para conservação, data de acondicionamento e prazo de validade. Depois de descongelado, é recomendável que seu preparo e consumo sejam feitos rapidamente.

Alguns estabelecimentos comercializam o bacalhau em pagamentos
parcelados. O consumidor deve ficar atento e certificar-se quanto às vantagens e desvantagens desta opção, as condições de pagamento e a existência ou não de juros.

A forma de pagamento deve ser apresentada ao consumidor de forma clara, precisa e ostensiva. Quando em parcelas, deve ser informado o preço à vista, número e valor de cada parcela, identificação dos juros cobrados e valor total financiado.

Além disso, sempre que o conteúdo líquido for inferior às indicações constantes na embalagem ou no material publicitário, o consumidor poderá exigir, alternativamente e à sua escolha, o abatimento proporcional do preço; complementação do peso ou medida, a substituição do produto por outro da mesma espécie, marca ou modelo, a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos.

A Coordenadoria Extraordinária de Proteção e Defesa do Consumidor lembra aos consumidores que o atendimento continua sendo feito de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, na Avenida Presidente Sodré, 534, Centro, CEP 27910-490, subsolo da Prefeitura de Macaé, telefones 2772-4458 e 2772-4491.

+ Mais Notícias