Secretaria de Educação

Professores discutem Base Curricular e Ensino das Ciências

2019-06-11 15:23:00 - Jornalista: Elis Regina Nuffer
Compartilhe:  
Foto: Ana Chaffin
Palestrante falou sobre as vantagens de estabelecer abordagem por competências, como o protagonismo do aluno

Professores de Ciências da Natureza, que atuam do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental da rede pública municipal de Macaé, participam, nesta terça-feira (11), do encontro sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o Ensino das Ciências da Natureza – Desafios e Possibilidades. O tema está sendo ministrado pela professora Heloíze da Cunha Charret, doutoranda em História do Currículo, mestre em “Física em Verso e Prosa” e graduada em Física, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O encontro acontece na sala 212, bloco A, da Cidade Universitária.

A palestra foi dividida em dois turnos, manhã e tarde, para que todos os professores interessados possam participar. O encontro foi realizado pela Superintendência de Ensino Fundamental e Médio, da Secretaria Municipal de Educação, com o objetivo de atualizar o Caderno e Orientação Curricular (COC), em consonância com a realidade local e as orientações da BNCC que trabalha, entre outros temas, o protagonismo do aluno.

“Dentro dessas novas diretrizes, o aluno que não ler não conseguirá, por exemplo, fazer um bom Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A leitura, a fluência, são fundamentais para todos os segmentos, o tempo todo”, destacou a superintendente, Balade Ayala. Ela enfatizou o Enem porque uma das provas do exame é de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, que avalia os conhecimentos de Física, Biologia e Química.

A palestrante falou sobre as vantagens de estabelecer uma abordagem por competências, como o protagonismo do aluno, e também o letramento científico proposto na BNCC. “Cada professor pode fazer o seu currículo dentro do contexto e de acordo com seus pares, porque é agente transformador. A proposta da base é colaboração criativa e realização de projetos, o que tira o papel do professor mentor que faz o aluno decorar de A a Z”, explicou.

Segundo ainda a professora palestrante, o mecanismo de organização da BNCC é distribuir as competências dentro dos seguintes eixos: definição de problemas; levantamento, análise e representação; comunicação; e intervenção. “A proposta é o aluno sair do individualismo, entender o que faz e buscar questionamentos, o que gera aprendizado, conhecimentos”, finalizou.

Prevista na Constituição, na Lei de Diretrizes e Bases e no Plano Nacional de Educação, a BNCC é referencial obrigatório para os currículos das redes públicas e particulares e para a formação dos professores. De acordo com a resolução normativa do Conselho Nacional de Educação, ela deve passar a valer nas salas de aula a partir de 2020.

+ Mais Notícias