Prefeitura Municipal de Macaé

Começa curso de qualificação para médicos de UTIs

2018-04-16 13:35:00 - Jornalista: Elis Regina Nuffer
Compartilhe:  
pessoas sentadas dentro de um auditório
Foto: Divulgação
Capacitação orienta sobre protocolos de atendimento e poderá ampliar os leitos credenciados pelo SUS

As secretarias municipais de Educação e Saúde iniciaram, sábado (14), na Cidade Universitária, o curso de capacitação dos médicos que atuam nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) do Hospital Público de Macaé (HPM) e do Hospital São João Batista (HSJB). Os médicos estão recebendo os protocolos sobre o funcionamento de uma UTI para o melhor atendimento aos pacientes e, a partir do curso, o município poderá credenciar, junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), os leitos que foram ampliados.

No total, serão oferecidos quatro cursos – um a mais que a exigência nacional - com embasamento teórico de como agir em uma UTI, as principais patologias que levam uma pessoa a necessitar do atendimento intensivo e o que fazer em cada caso para salvar vidas. O primeiro curso, sobre “Suporte neurológico grave”, foi ministrado pela neurocirurgiã e vice-coordenadora do curso de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ-Macaé), Laila Zelkcowicz Ertler. Segundo ela, enquanto a média de cirurgias neurológicas eletivas é de duas por semana, só o HPM realizou 14 no último mês de março – quase o dobro da média.

A equipe da Superintendência Acadêmica da Ensino Superior, responsável pela elaboração e logística operacional dos cursos, informou que este primeiro curso continuará no dia 5 de maio e os próximos serão realizados em 25 de abril, “Suporte avançado de vida em cardiologia”; 30 de maio, “Fundamentos básicos em UTI”; e 27 de junho, “Via aérea difícil”, todos com o cardiologista Joel Tavares Passos, que tem experiência em medicina intensiva. Cada curso habilitará cerca de 25 médicos, que receberão o certificado emitido pela Secretaria de Ensino Superior.

Os cursos são necessários devido a expansão da oferta no município do número de leitos para adequar às necessidades da demanda hospitalar da população e para que a gestão da saúde atenda aos critérios exigidos por lei para habilitar o funcionamento de todos os leitos existentes nas UTIs da rede pública municipal de saúde.

Médicos aprovam a qualificação

Um dos participantes do curso e um dos coordenadores da UTI do Hospital São João Batista, o médico Cristiano Alonso, destacou que os gastos com um paciente em UTI são altos e o curso é importante para que o município não arque sozinho com essas despesas. O HPM, por exemplo, é referência regional, principalmente no atendimento a doentes de alta complexidade e vítimas de acidentes de trânsito.

- Qualificar os profissionais é fundamental e o município precisa do credenciamento dos leitos ampliados. Só no São João Batista temos quatro ainda não credenciados porque dependemos dos cursos. O hospital tem 10 leitos de UTI, sendo seis credenciados - disse Cristiano.

Estêvão Pereira Ribeiro, 25 anos, que se formou em medicina pela UFRJ-Macaé, na Cidade Universitária, vive a realidade de uma UTI desde os tempos de faculdade quando fez estágio na área.

- A realidade é muito específica e exige um preparo mais intenso. Estagiei na área e gostei muito. Este curso será muito importante para a minha carreira -, avaliou.

O curso foi aberto pelo secretário de Ensino Superior, Márcio Magini, que falou da importância da parceria com a universidade.

- Este curso de capacitação é de alto nível para formarmos melhores profissionais para atender a sociedade. Esta é uma das missões da Secretaria de Ensino Superior e este espaço é fundamental para disseminar conhecimento. Temos aqui, no mesmo espaço, a FeMASS (faculdade municipal), a UFF e a UFRJ.

Busca

Acesso Rápido

Destaque