Museu recebe visitas de grupos

2019-02-12 11:09:00 - Jornalista: Andréa Lisboa
Compartilhe:  
pessoas em pé dentro de um cômodo onde tem uma mesa
Foto: Divulgação
Solar dos Mellos expandiu a visitação no espaço permitindo o acesso a três novas salas de pesquisa

Na semana de reabertura da agenda do projeto ‘Visita Guiada’ da Secretaria de Cultura, realizado no Solar dos Mellos, o museu de Macaé recebeu um grupo de usuários do Capsi Betinho e outro de cursistas do Sebrae-Macaé. Depois de bater a meta de 2018, o projeto acrescentou novos objetivos para este ano e também expandiu a visitação a três novas salas de pesquisa onde acontece o ‘Macaé em Fontes Primárias’.

Em 2018, o ‘Visita Guiada’ tinha como meta superar o número de visitações dos anos anteriores. O objetivo foi alcançado, de acordo com o coordenador do projeto, Bruno Rodrigues, com números além das expectativas. Para ele, isso é resultante da implementação de novos projetos culturais na casa, como o ‘Quintas no Museu’ e o ‘Curta no Museu’, e ainda ao relançamento de projetos como o ‘Café Literário’. A proposta da gestão da Cultura é transformar o Solar dos Mellos, além de um centro de pesquisas, em um centro cultural. "Estes projetos atraem um público novo ao museu e podem ter contribuído para o interesse de mais grupos organizados para visitação", diz Bruno.

Os registros nos livros de visitantes confirmam a justificativa do coordenador. Apenas no segundo semestre, quando os novos projetos tiveram início, 3.048 pessoas registraram sua presença no livro de visitação, para um total de aproximadamente 5 mil pessoas em todo o ano de 2017. As novas iniciativas tiveram início na segunda quinzena de setembro. No mês anterior (agosto), 252 pessoas estiveram em visitação ao museu, passando para 761 em setembro. No mês subsequente (outubro), o número de 815 visitantes foi alcançado.

Para 2019, a meta do projeto é atingir, além dos grupos prioritários (que são os formados por estudantes de instituições de ensino público da cidade), cada vez mais pessoas de diferentes segmentos e interesses, atendendo ainda ao turismo cultural. E isso também começou a se intensificar no ano anterior. Em 2018, o museu recebeu estudantes do centro de formação profissionalizante da Secretaria de Educação (Cetep), agentes dos projetos Guarda Sênior e Guarda Mirim da Secretaria de Ordem Pública, integrantes do projeto Nova Vida da Secretaria de Administração, mulheres assistidas por projetos da Coordenadoria Geral de Políticas para as Mulheres, crianças e adolescentes atendidos nos Centros de Referência em Assistência Social (Cras), artesãos, graduandos e pós-graduandos de instituições públicas e privadas como: UFRJ, Fafima, UniRio, Salesiana, entre outros grupos.

Na semana de abertura da agenda, um grupo de cerca de 30 pessoas atendidas no CAps Betinho (Centro de Atenção Psicossocial) foram buscar mais informações sobre a história da cidade no Solar dos Mellos. “É uma troca de memória e de história. Os visitantes fizeram uma ‘retrospectiva’, recordando da sua própria história que se mistura com a da cidade. Assim, eles compartilham conosco algumas práticas de vivência do passado”, destaca o historiador Bruno Rodrigues.

"A visita guiada foi realmente singular. Ela teve um caráter terapêutico, mas foi idealizada pelos usuários do Caps durante uma de nossas oficinas sobre a construção da história de vida de cada um. Muitos não são macaenses e, numa perspectiva de inclusão, é preciso que se conheça o território onde se vive. Por isso, buscamos saber mais sobre a história de Macaé e a sua contribuição em nosso cotidiano. A visita foi muito esclarecedora para eles e para nós. Eles gostaram muito e ela trará novos desdobramentos para a nossa oficina", disse a terapeuta ocupacional do Caps Betinho, Verônica Santiago.

Turismo Cultural

O projeto ‘Lugares de Memória’ oferece um tour histórico pelos patrimônios culturais da cidade, uma proposta para 2019 é disponibilizar também o ‘Visita Guiada’ para este público, em parceria com a Secretaria Adjunta de Turismo.

Os programas da visitação ao museu são adequados a cada grupo por faixa etária e nível de ensino. A partir desta semana, o programa de visitação será ampliado para alguns seguimentos. Os grupos terão acesso a três salas de pesquisa onde acontece o projeto Macaé em Fontes Primárias, no qual documentos processuais do cartório do 1º e 2º Ofício de Notas da Comarca de Macaé dos séculos XIX e XX estão sendo higienizados, digitalizados e arquivados para serem democratizados e atenderem, especialmente, a pesquisas acadêmicas. Uma nova equipe para este projeto entrará em treinamento com o coordenador, que também é paleografista, nesta quarta-feira (13) para atuarem em equipamentos recentemente adquiridos.

O agendamento de visita gratuita ao museu é feito por meio do telefone 2759-5049, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. A marcação é necessária apenas para grupos formados por no mínimo dez pessoas. Os grupos devem ser compostos por até 40 pessoas. O ‘Visita Guiada’, assim como o ‘Lugares de Memória’, o ‘Macaé em Fontes Primárias’ e ‘o Professor Investigador’, integram o Programa de Educação Patrimonial do Município, com o intuito de promover a integração museu-escola e museu-sociedade.

Busca

Acesso Rápido

Destaque