Atletismo de Macaé com resultados históricos

Aug 16, 2023 10:13:00 AM - Jornalista: Equipe Secom

Foto: Divulgação

Competições aconteceram em Aracaju, capital de Sergipe

O programa Atletismo Macaé, do Ciep 455 Maringá, conquistou resultados históricos. No último final de semana foram alcançadas pontuações expressivas na disputa do Campeonato Brasileiro Interclubes Sub-18 de Atletismo, realizado em Aracaju (Sergipe). A aluna Hakelly de Souza Maximiano da Silva, uma das revelações, conquistou duas medalhas de ouro nas provas de 100 e 200 metros rasos. Ela foi reconhecida como "a menina mais veloz do Brasil" na categoria que vai até 17 anos.

O desempenho da representante de Macaé é motivo de comemoração: a aluna, que pratica atletismo há apenas um ano, ainda é da categoria Sub-16 por ter somente 14 anos. Ela venceu a prova dos 100 metros surpreendendo e ultrapassando todas as adversárias. Na pista, Hakelly reagiu à dificuldade na largada e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar. A conquista de Hakelly está sendo aplaudida pela comunidade escolar do Ciep Maringá, amantes e apoiadores do esporte em Macaé.

A estudante do 7° ano, moradora do bairro Novo Horizonte, ainda fez mais: venceu também a prova dos 200 metros rasos, superando outras competidoras que já fazem parte da Seleção Brasileira de Atletismo e representaram o país em competições internacionais, conquistando inúmeras medalhas. Esse fator, segundo o professor da equipe, Hiller Franco, valoriza ainda mais a conquista da Hakelly.

Outra conquista foi da atleta Nykolli Alves da Silva Rangel, que ganhou a medalha de bronze na prova dos 400 metros com barreiras. Ela é moradora do bairro Virgem Santa, tem 17 anos e concluiu o Ensino Fundamental no Colégio Municipal Generino Teotônio de Luna, na Virgem Santa.

Atualmente estudante do Instituto Federal Fluminense (IFF-Macaé), esse ano a estudante também recebeu medalha de bronze nos Jogos Escolares Brasileiros de Atletismo, em Brasília, no mês de março. Ela também foi a primeira atleta representante do município, treinando em Macaé, a disputar o Troféu Brasil, em Cuiabá, no último mês de julho. A competição é considerada a maior e mais importante competição do atletismo brasileiro.


"Ela agora se coloca firme no cenário do Atletismo Brasileiro, se tornando também referência para outros jovens do município e do estado", pontua Hiller Franco. Nykolli também participou da prova dos 2.000 metros com obstáculos, em Aracaju, ficando em 7° lugar.



Hiller Franco salienta que a equipe de Macaé, a Associação Esportiva Cidadania e Dignidade (AECD), entidade prática pela qual os atletas macaenses são registrados na Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), foi o clube do Estado do Rio que mais levou atletas para o Campeonato Brasileiro.


"Levamos 13 atletas no total e também somos a equipe que mais conquistou medalhas pelo nosso estado. Em julho, a equipe já havia conquistado o título de campeã estadual da categoria. Isso é maravilhoso e inesquecível", falou o professor.




"Considero honroso o 14° lugar. Disputamos com equipes de todo o país, várias com toda estrutura. Viajamos dois dias de Van para Aracaju, tanto na ida quanto na volta. Em Macaé treinamos de forma adaptada, mas todos são muito comprometidos", ressaltou Hiller.



Outro importante resultado obtido pela equipe foi no revezamento misto 4 x 400 metros rasos. Nesta prova a equipe formada por Ryan Carvalho, Hakelly de Souza, Kaio Ávila e Nykolli Alves ficou em 8° lugar, numa competição que contou com a participação de 94 clubes de 22 estados do país. Os atletas Ryan Carvalho e Kaio Ávila também participaram dos 110 metros com barreiras, 400 metros com barreiras e revezamento 4 x 100 metros rasos.

Além deles, Davi Monteiro Campos participou das provas do Decatlo, ficando em 8° lugar e também dos 110 metros com barreiras. Também participaram da competição: Emily Couto - lançamento do dardo e lançamento do disco; Raison dos Santos e Edivan Valentim, ambos no salto em distância, salto triplo e integraram o revezamento 4x100 metros rasos; Matheus Gomes de Souza e Vitório Bezerra Elias Taxa, ambos participaram dos 2.000 metros com obstáculos e 3.000 metros rasos; Valdir Gonçalves - lançamento do dardo e lançamento do disco; Cayo Bino Nani - lançamento do dardo e arremesso do peso; e Luiz Henrique Nogueira - lançamento do martelo.

Para a participação nas competições, os atletas contam também com recursos da Bolsa Atleta Municipal da Prefeitura de Macaé, através da Secretaria de Esportes. O projeto Atletismo Macaé é uma parceria do CIEP 455 Maringá, Secretaria Municipal de Esportes, Secretaria de Educação e patrocínio da Etesco Construções e Comércio, com apoio da AECD.

Novas disputas
Os trabalhos do Atletismo Macaé não param por aí. Os alunos estão se preparando para outras competições. A próxima será o Gymnasiade Internacional. A programação será no período de 19 a 27 de setembro, na cidade do Rio de Janeiro, e visa resgatar uma importante memória esportiva no Rio: as provas serão realizadas nos equipamentos onde aconteceram os Jogos Olímpicos de 2016.

Ao todo, serão 22 modalidades disputadas, sendo três do paradesporto. A expectativa é que a competição receba 4 mil participantes, sendo 2.100 estudantes-atletas, com idade entre 13 e 15 anos de escolas públicas ou particulares. O evento terá entrada gratuita. Da equipe, o atleta Matheus Gomes de Souza Tavares, estudante de 15 anos, do 9° ano do Ciep 455 Maringá, representa o Brasil na prova de 800 metros rasos.

Logo após, a equipe participa do Campeonato Estadual de Atletismo Sub-23, também no Rio de Janeiro. Na sequência, haverá os Jogos Escolares da Juventude 2023, de primeiro a 16 de setembro em Ribeirão Preto (São Paulo). A competição reunirá os melhores atletas de até 17 anos do país. São esperados cerca de 4500 competidores, na disputa por medalhas em 18 modalidades.

Esta competição escolar nacional é para atletas de 15 a 17 anos, e sete atletas da equipe macaense, que disputaram recentemente o Campeonato Brasileiro Sub-18, representarão o Estado do Rio de Janeiro. São eles: Hakelly de Souza (100 e 200 metros rasos); Nykolli Alves (110 metros com barreiras e 400 metros rasos); Emilly de Souza (lançamento do dardo e lançamento do disco); Davi Monteiro (110 metros com barreiras e salto em altura); Cayo Bino (lançamento do dardo e lançamento do disco); Kaio Ávila (110 metros com barreiras e 400 metros rasos); e Valdir Gonçalves (lançamento do dardo e lançamento do disco).


"Em setembro ainda tem o Campeonato Estadual de Atletismo Sub-16. Já em outubro haverá o Campeonato Brasileiro de Atletismo Sub-16, e o Estadual Sub-14 para finalizar o ano. O momento do Atletismo Macaé é muito legal. Acredito que está sendo importante para a educação e o esporte em Macaé mostrar que um trabalho feito com dedicação e amor a partir da Educação Física escolar, dentro de uma escola municipal. Contamos com apoio da gestão, dos professores e funcionários, além da comunidade e, principalmente, dos gestores das políticas públicas do município. Podemos transformar vidas, afastar os jovens dos caminhos difíceis e contribuir para uma sociedade melhor. O nosso contribui também para a modalidade no estado, que não vem tendo resultados expressivos em competições nacionais", comenta Hiller.



O professor acrescenta que "para a ampliação desse programa também é importante que a iniciativa privada contribua, como faz a ETESCO Construções e Comércio (a patrocinadora do projeto), sem a qual nada disso estaria acontecendo", finaliza.