Ministério aprova terreno para construção de matadouro

Apr 13, 2005 5:58:12 PM - Jornalista: Maria Izabel Monteiro

O Ministério da Agricultura aprovou o terreno destinado pela prefeitura de Macaé para construção no matadouro e abatedouro regional. A área escolhida e já adquirida pela prefeitura para a construção do matadouro fica no Km 2,5 da RJ 168 (estrada Macaé- Glicério). A Secretaria Municipal de Agricultura já recebeu do Ministério o laudo aprovando o local, pois cabe ao órgão federal a avaliação e liberação da área destinada, que deve se localizar distante do perímetro urbano.

Passada esta etapa, a Secretaria de Agricultura já está dando andamento ao projeto do matadouro, que será regional para atender aos municípios vizinhos que não contam com um local oficial para o abate de animais. Após a aprovação do projeto pelo prefeito Riverton Mussi e pela Câmara Municipal, será preciso a licença dos órgãos competentes (Ministério da Agricultura e Feema) para que a obra seja iniciada.

Segundo o Secretário Municipal de Agricultura, Francisco Machado Neto, cerca de 80% da carne bovina e suína consumida em Macaé são oriundas de abatedouros clandestinos. O secretário espera poder dar início à construção do abatedouro ainda este ano. “Dependo apenas das questões jurídicas e burocráticas do processo para começar a obra”, garante Chico Machado.

Assim que o terreno foi adquirido pela prefeitura, o secretário, acompanhado de médicos veterinários e técnicos da secretaria de Agricultura (Semaga) visitou o local, junto com a equipe do Ministério da Agricultura, quando os funcionários federais constataram que a área se enquadrava nos pré-requisitos exigidos. Uma área de 50 mil metros quadrados será utilizada para um matadouro misto, onde acontecerá o abate de gado bovino, suíno, caprino e ovino.

O abatedouro oficial evita os males do abate clandestino, que é ilegal, criminoso e responsável pela contaminação de consumidores e outros animais. “A idéia é promover a saúde preventiva. Sem um conhecimento adequado da origem do animal não há como saber se a população está exposta a algum risco”, salientou Chico Machado. Em Macaé e outros municípios da região, por falta de um local onde ocorra o abate oficial, com exceção dos grandes supermercados, a maioria do abate é feito no mato, sem higiene e fiscalização, o que é um risco para os consumidores.

Com a construção do matadouro, a fiscalização continuará rigorosa e os consumidores protegidos. O chefe da Divisão de Veterinária da secretaria, Dr. José Carlos Chagas de Souza, também defende uma maior vigilância em relação à carne que é consumida em Macaé e região. Segundo ele, a carne clandestina traz o risco de zoonoses, como tuberculose e brucelose entre outras.

Com a área aprovada, a Secretaria de Agricultura,vai enviar à Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema) o pedido de autorização para construção e, em seguida, a Feema enviará técnicos para inspecionar o local, segundo as leis que protegem o ecossistema. A secretaria também encaminhará documento à secretaria estadual do Meio Ambiente, colocando-a a par do projeto, que terá também a cooperação dos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente, para que atenda às exigências legais, diminuindo os riscos de impacto ambiental.