Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda

Pecuária leiteira do município será revitalizada

2013-03-19 17:18:00 - Jornalista: Elis Regina Nuffer
Compartilhe:  
Foto: João Barreto
Governo municipal quer que produtores locais passem a fornecer leite para merenda escolar

A pecuária leiteira de Macaé receberá incentivos do governo municipal, que investe na revitalização da produção do laticínio no município. Uma das metas é que os produtores locais passem a fornecer leite e derivados para a merenda dos alunos das escolas municipais, com recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Para isto, novas técnicas de manejo, sanidade do animal, condições de higiene, instalações e do pasto e até a diversificação da economia adequada às estações do ano são discutidas entre a Secretaria de Agroeconomia e os produtores. Nesta terça-feira (19), o encontro foi no bairro Virgem Santa, junto com representantes da Cooperativa Agropecuária de Macaé (Coapem).

O objetivo da prefeitura é conhecer as demandas de cada região produtora para definir as linhas de ações que vão melhorar a produção leiteira. Eraldo Gomes, produtor há 30 anos, disse que seu rebanho produzia em média 170 litros de leite por dia e hoje não produz mais do que 120. Já Amaro Gomes Corrêa, também presente na reunião, que aconteceu em frente ao tanque de resfriamento do bairro, disse que parou a produção há um ano, depois de mais de 30 anos no setor leiteiro. Ele contou que chegou a produzir 250 litros por dia. “Mas agora vou voltar a produzir aqui porque a prefeitura dará capacitação, com veterinário e agrônomo visitando a propriedade e orientando sobre o que devemos fazer para ter uma produção melhor e rentável”, comemorou.



Os produtores da Virgem Santa disseram que um dos problemas que agravaram a queda na produção leiteira é o alagamento dos pastos devido ao transbordo do canal do Rio Macaé, cuja limpeza e manutenção serão feitas pela prefeitura, em ação conjunta com a Agroeconomia, uma vez que as condições ambientais são fundamentais para o melhor desempenho do gado.



Um dos representantes da Coapem presentes na reunião, Luiz Pereira, orientou que, para que os produtores passem a fornecer o leite e derivados ao município e voltem a ocupar o espaço que perderam com a queda na produção, é necessário que se organizem como agricultores familiares e obtenham a Declaração de Aptidão (DAP) do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Alguns produtores macaenses já têm o documento, mas precisam da capacitação que será oferecida pela prefeitura para impulsionar a atividade.



A Coapem informou que, por falta de recursos e capacitação, o município tem hoje aproximadamente 95 produtores, que juntos produzem entre 10 e 12 mil litros de leite por dia, mas a produção já alcançou 30 mil litros diários, ou seja, era três vezes mais, com 270 produtores, há 13 anos. Virgem Santa é um bom exemplo deste cenário, pois contava com 35 produtores e hoje são apenas 16, devido também ao progresso que levou o crescimento imobiliário ao bairro e, com isto, à diminuição dos pastos.



Encontro com produtores continua nesta quarta-feira



Uma parte da produção leiteira de Macaé é comercializada em estabelecimentos do município e a outra parte vai para Rio das Ostras, Cabo Frio e para fabricação de leite em pó numa fábrica em Macuco (RJ).



A primeira reunião aconteceu na semana passada na gleba Maria Amália, onde vai ter um tanque de resfriamento de leite, e os próximos encontros serão com os produtores do Aterrado do Imburo, nesta quarta-feira (20); do Assentamento Prefeito Celso Daniel, na quinta-feira (21); e do distrito de Bicuda, na região serrana, na sexta-feira (22), ambas no mesmo horário, às 8h30.

+ Mais Notícias